sábado, 11 de dezembro de 2010

Consumo de Antibióticos.


Antibióticos são substâncias, desenvolvidas a partir de fungos, bactérias ou elementos sintéticos (produzidos em laboratórios farmacêuticos). Vide abaixo a origem de alguns antibióticos existentes no mercado.


A finalidade do antibiótico é combater microorganismos causadores de infecções no organismo. As principais infecções bacterianas são a tuberculose, a pneumonia, a angina, as infecções urinárias (ex: cistite), os abcessos, a acne e algumas DST (gonorréia, sífilis, clamídia).
Os antibióticos são classificados de acordo com a sua potência. Os antibióticos bactericidas destroem as bactérias, enquanto os antibióticos bacteriostáticos evitam apenas que aquelas se multipliquem e permitem que o organismo elimine as bactérias resistentes. Para a maioria das infecções, ambos os tipos de antibióticos parecem igualmente eficazes; porém, se o sistema imunológico está enfraquecido ou se a pessoa tem uma infecção grave, um antibiótico bactericida costuma ser mais eficaz.

Assim como todo medicamento, antibióticos também podem causar efeitos colaterais (vide abaixo). Estima-se que seja um dos grupos medicamentosos que mais causam efeitos adversos no organismo.



Os antibióticos são a classe de medicamentos mais prescritos em todo mundo. No Brasil, 40% de todos os medicamentos vendidos em farmácias são antibióticos. Isso é um indicativo de que tais medicamentos, que deveriam ter venda controlada, são facilmente obtidos pelo consumidor. O uso contínuo de antibióticos faz com que sejam selecionadas cepas de microorganismos resistentes a estas drogas, sendo necessária a descoberta constante de novos remédios mais eficazes. Isto tem aumentado consideravelmente o custo do tratamento das infecções, e também criado microorganismos resistentes, que são um perigo para a saúde pública (vide o caso da Superbactéria, por exemplo). Por isso, a automedicação de antibióticos, bem como a prescrição indiscriminada é extremamente prejudicial para o próprio paciente e também para toda a população. Ao tomar um antibiótico mata-se bactérias da flora natural do corpo humano, gerando desequilíbrio, e abrindo espaço para bactérias patogênicas crescerem, aumentando a chance de desenvolver outras infecções.
É de extrema importância que os pacientes façam o uso correto do medicamento, seguindo rigidamente as indicações do médico e do farmacêutico. Segundo o Chefe da Unidade de Farmacovigilância da ANVISA, Murilo Freitas Dias, antibióticos não devem ser ingeridos juntamente com outros medicamentos, pois podem ter seu efeito reduzido. Também é necessário que haja um controle na venda de antibióticos e que ele seja liberado somente a partir de prescrições médicas.

Lembre-se: Para obter os resultados esperados em tratamentos com antibióticos, é indispensável tomar o medicamento no horário correto e cumprir o período de uso determinado pelo médico. É preciso ter responsabilidade para fazer esse tipo de tratamento, pois a interrupção pode levar a infecções generalizadas graves. Quando se toma o antibiótico em tempo inferior ao prescrito, a bactéria a ser combatida torna-se resistente. Assim, aumentam os riscos de essa bactéria espalhar-se por todo o organismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário